Introdução


No atual momento, onde vivemos o maior período de vida democrática iniciada com a promulgação da Constituição Federal de 1988, são notáveis as cobranças da sociedade pela prestação de serviços públicos de qualidade e com economicidade.

A reforma administrativa promovida pela Emenda Constitucional nº 19/98 introduziu a eficiência como um princípio a ser seguido por toda Administração Pública. Ora eficiência ensina-nos, o prestigiado Dicionário Aurélio, trata-se da “ação de produzir um efeito”, porém de mais valia é ter uma Administração Pública eficaz, ou seja, capaz de produzir o efeito desejado.

Nesse prisma, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), como órgão de controle da atuação administrativa e financeira dos tribunais, instituiu a atribuição de coordenar o planejamento e a gestão estratégica do Poder Judiciário, criando um processo centralizado e forte de unificar o Poder Judiciário através da elaboração de diretrizes nacionais capazes de nortearem a atuação institucional em todos os órgãos conforme resolução 70/2009 do Conselho Nacional de Justiça.

Trazer para o setor público os modelos originados na gestão privada requer capacitações e trabalhos intensos, em especial, no planejamento estratégico que envolve mudanças organizacionais e culturais, adaptando-se constantemente as novas demandas de uma sociedade cada vez mais instruída e conhecedora de seus direitos.

Nesse contexto, o Núcleo de Gestão Estratégica do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (Amazonas e Roraima) foi criado para promover o alinhamento estratégico em todas as unidades do Regional.

Ademais, o Escritório de Gerenciamento de Projetos possui como suas atribuições várias responsabilidades relacionadas ao gerenciamento centralizado e coordenado dos projetos sob seu domínio, alinhando os esforços às necessidades estratégicas da organização.

Planejamento Estratégico 2015-2020
Organograma do TRT11